Publicações


'Lutando pela sobrevivência'
Fotogravura
Tamanho: 41 x 29 cm
 

 
 
A EXPLOSÃO DO SILÊNCIO

Gosto do silêncio. O silêncio me fala. Me fala e muito, ou quase tudo.

A fala do silêncio me faz pensar, imaginar.

O sentimento da fala silenciosa me faz ver, me faz sentir, abre-me para o perceber. Perceber com todo o possível: pelos olhos, pelos ouvidos, pelas narinas, pelas mãos e por tudo o mais, aflorando então do íntimo do ser - poderosamente - o mágico, o sonho, a imaginação.

E é aí, e é assim, quando somos impulsionados (quase obrigados) a nos falar, conseguimos externar das mais variadas formas, usando os mais variados recursos, tudo o que foi produzido por nossa imaginação.

É de uma necessidade enorme, uma verdadeira compulsão, quase uma alucinação. E a essa explosão de sentimentos, damos o nome de intuição artística. É um tempo de verdadeiro tormento, desesperador, que só termina quando a obra de arte é finalmente produzida.


Texto e imagem: José Augusto Silveira
novembro/14
__________________________________________________



ARTE E INDÚSTRIA CULTURAL

Para mim, a arte é a expressão mais verdadeira e mais essencial da alma humana. Ela transcende o nosso próprio mundo: nos leva a outros mundos, nos revela, nos desencobre do aqui e agora.  É nosso espírito em pleno ato de criar.

Por outro lado, a indústria cultural não cria, apenas fabrica: para o uso e para o consumo. A Arte como Arte não pode ser equiparada ao que somente é útil ou até mesmo belo.

Ao contrário, a arte somente é arte quando serve para nos libertar do útil existente em nós mesmos.

Transformar a arte em simples mercadoria é a possibilidade de perdermos nossas almas e nos tornarmos simplesmente coisas, nada mais.


José Augusto Silveira – 30/jun/14

__________________________________________________


O que é Arte Naif

Arte naïf ou arte primitiva moderna é, em termos gerais, a arte que é produzida por artistas sem preparação académica na arte que executam (o que não implica que a qualidade das suas obras seja inferior). Caracteriza-se, em termos gerais, pela simplicidade e pela falta de alguns elementos ou qualidades presentes na arte produzida por artistas com formação nessa área[carece de fontes].

(Veja também art brut, género artístico que tem algumas semelhanças.)

O termo naïf presume a existência (por contraste) de uma forma académica de proceder nas artes - uma forma "educada" na criação artística, que os artistas desta corrente não seguirão. Na prática, contudo, também existem "escolas" de artistas naïf. Ao longo do tempo, o estilo foi sendo cada vez mais aceito e valorizado.

As principais características da arte naïf (por exemplo, na pintura) são a forma desajeitada como se relacionam determinadas qualidades formais; dificuldades no desenho e no uso da perspectiva que resultam numa beleza desequilibrada mas, por vezes, bastante sugestiva; uso frequente de padrões, uso de cores primárias, sem grandes nuances; simplicidade no lugar da subtileza, etc. Por se referir à uma tendência estética e não particularmente a uma corrente de pensamento é recorrente a errônea classificação "naif" de artistas na realidade conscientes de sua produção formal que optam por uma figuração sem compromisso fotográfico com a realidade (como exemplo o pintor Henri Rousseau, exímio colorista, considerado diversas vezes um "ingênuo").

Tornou-se um estilo tão popular e reconhecível que já existem obras que podemos classificar como pseudo-naive.

Fonte: //pt.wikipedia.org/wiki/Arte_naif



CARTA AOS ARTISTAS NAIF DO RIO DE JANEIRO
(Documento divulgado durante a campanha eleitoral de 2010)


A arte como um fator fundamental de expressão dos sentimentos e representação cultural do homem acontece desde os primórdios da civilização. As pinturas encontradas nas cavernas de Lascaux (França) e Altamira (Espanha) datam de mais de 15 mil anos atrás.

São conhecidas também pinturas da antiguidade como expressão social, encontradas nas civilizações chinesa, indiana, egípcia, e na arte indígena do sul, central e do norte do nosso novo mundo.

O Brasil é um dos maiores produtores de arte Naif, tanto em quantidade quanto em qualidade, tendo reconhecimento internacional, mas infelizmente não sendo valorizado da mesma forma aqui no Brasil.

Dito isso, convivo com o mundo da arte Naif desde criança quando acompanhava minha tia e mãe, Elisa Silveira, em reuniões de artistas plásticos ricas em criatividade , lideradas por Ivan Serpa e seus companheiros de Movimento, Helio Oiticica, Djanira, Grauben, Heitor dos Prazeres, Aluísio Carvão, Ligia Papi, Ligia Clark.

O Museu de Arte Naif é representante de fundamental importância por ser um dos poucos espaços que esse tipo de expressão artística encontra para sua divulgação e valorização.

Por isso mesmo, consideramos inadmissível que ela seja tratada como arte de menor valor apenas por representar o mundo de uma forma pictoricamente ‘ingênua’, não levando em conta regras tradicionais da pintura clássica como perspectiva e perfeição de desenho. Pelo contrário, a arte Naif tem sua importância pela riqueza de cores e movimento, além da capacidade de representar o imaginário popular de maneira tão espontânea que mais parece a arte e o sonho de criança.

O Partido verde sempre esteve comprometido com o objetivo de estimular a diversidade cultural e todas as propostas que contribuam nesse sentido em nosso país.

Sendo assim, proponho firmar um compromisso da minha candidatura a Deputado Federal do PV com o seguimento dos artistas Naif, no sentido de ser um interlocutor permanente no Congresso Nacional, propondo leis que incentivem a divulgação e profissionalização desse segmento.

Como itens básicos para a política cultural em questão, inicialmente temos a necessidade de:

• criar espaços para exposição de trabalhos,

• estimular as empresas a investirem em Projetos envolvendo a arte Naif,

• fortalecer a estrutura do Ministério da Cultura em relação às políticas culturais específicas para os grupos de artistas Naif e

• apoio a projetos que integrem a arte Naif à resolução de problemas sociais

• a manutenção e criação de instituições que promovam a arte Naif junto ao público em geral.

Coloco-me à disposição para receber sugestões ou discutir temas de relevância não mencionados nesta carta.

Desde já agradeço o apoio,

José Augusto Silveira

Candidato à Deputado Federal e Presidente do PV da Cidade do Rio de Janeiro

Contatos
EMAIL: ja.silveira@terra.com.br
facebook.com/jasilveira.pv
Tel.: (21) 9619-9331


Conheça vários artistas Naifs Clássicos

Conheça vários artistas Naifs Contemporâneos