segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Chico da Silva



[Francisco Domingos da Silva]
(Cruzeiro do Sul - Alto Tejo, Acre, 1910 — Fortaleza, 1985)


Descendente de uma cearense e um índio da Amazônia peruana. Viveu até os dez anos de idade na antiga comunidade de Alto Tejo.


Em 1934, a família de Chico da Silva embarcou para o Ceará, indo morar em Fortaleza. Semi-analfabeto, teve diversas profissões não relacionadas à arte (consertava sapatos e guarda-chuvas, fazia fogareiros de lata para vender, entre outras), mas sempre desenhava pelos muros da cidade com carvão e giz. Era autodidata.



"Meus animais imaginários"
Guache s/ cartão
0,56 x 0,75 m
Cerca de 1965

(Acervo Finkelstein)
Fonte: "O Mundo Fascinante dos pintores naifs"




"Amazônia feérica"
Guache s/ cartolina e madeira
1,20 x 2,29 m
Cerca de 1964

Doação: Jacqueline & Alberto Levy (RJ)
(Acervo Finkelstein)
Fonte: "O Mundo Fascinante dos pintores naifs"
 


Chico da Silva foi descoberto pelo pintor suíço Jean-Pierre Chabloz, que notou um destes graffitis, em meados da década de 1950 na praia do Pirambu, em Fortaleza, onde costumava desenhar em paredes e muros do bairro.

Antes de ser conhecido, era chamado pelos moradores de "indiozinho débil mental". Chabloz, que o tomou como discípulo, ensinou-lhe as técnicas do guache e do óleo. Logo passou a expor seus trabalhos na cidade, no Rio de Janeiro e na Suíça.

Em 1966 recebeu menção honrosa na XXXIII Bienal de Veneza. Três anos depois, Chabloz cortou relação com Chico, afirmando mais tarde em uma entrevista que estava insatisfeito com a qualidade do artista.

Fonte: Wikipedia