segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Louis Marius Amorim Ferreira


13/03/1953 - Nasce Ferreira Louis Marius

Apesar de não gostar de rótulos, o artista explica que é um paisagista. Coloca nas telas sua vivência, uma interpretação poética, pessoal, com cores e formas, expressando seu sentimento em relação àquilo que viveu. “Para mim, a pintura não é somente uma questão estética, de beleza, é uma vivência”, completa.

Para a marchand Munira Calluf, proprietária da Galeria de Arte Um Lugar ao Sol, Ferreira talvez seja hoje o nome de maior destaque no Brasil. “A história de Ferreira teve início na década de 70 quando ele era pescador no litoral de São Paulo e, durante um período impróprio para a pesca, começou a pintar. Logo de imediato, fez muito sucesso, principalmente com capitães de navios estrangeiros que atracavam no porto, e hoje é um dos grandes destaques mundiais da arte naif”, destaca.

Ferreira conta que o gosto pela arte vem de sua infância. “A pintura sempre foi uma paixão muito grande. Já ‘lambuzava’ algumas telas desde pequeno”. No início, pintava sem a preocupação de se encaixar em algum estilo. “Depois é que fui saber que o que eu fazia era arte naif”.

Apesar do grande talento, Ferreira não imaginava que poderia realmente largar a pesca e viver da arte. Foi somente em 1991 que, depois de expor durante dois anos na Praça República, em São Paulo, decidiu entrar em contato com galerias especializadas em arte naif. Então não parou mais, era uma exposição depois da outra. O reconhecimento foi imediato. Vendeu todos os quadros em sua 1ª exposição individual e passou a exportar para França e Estados Unidos. “Os EUA estão descobrindo a arte brasileira. Para se ter uma idéia, em apenas dois meses, vendi minha produção toda para um marchand norte-americano”, revela o artista.

Mas não apenas os americanos são grandes admiradores de Ferreira. Depois do sucesso de exposições em Israel, Canadá, Espanha, Suíça, México, Japão e França, agora é a vez de Curitiba conhecer o melhor da arte naif. “Tenho grande admiração pelo aspecto cultural de Curitiba, altamente ligada à cultura. É exemplo para o país de como temos que nos desenvolver”, desabafa Ferreira.

Fonte: Trecho da reportagem em www.bemparana.com.br/noticia/49300/parana


Entre Brumas e Bromélias





Fonte das imagens: //allartsgallery.com/pt-PT/artistas/68-louis-ferreira/quadros